quinta-feira, 19 de maio de 2011

Escola em Guanacés/Ce é considerada modelo por estrutura que oferece

Fiquei muito contente ao ver na TV, no canal por assinatura Globo News, essa reportagem sobre uma escola em Guanacés, distrito de Cascavel/Ce, distante cerca de 12 km da sede. Lembro de, quando menino, ter ido a Guanacés várias vezes com meu pai, de Jipe ou na garupa de um bom cavalo. Talvez uma viagem hoje à distante Ásia ou à Austrália na primeira classe de um desses modernos jatos atuais não me traga tanta satisfação. Foi em Cascavel onde iniciei meus estudos, em uma escola pouco dotada desses recursos da escola de Guanacés, mas com professoras certamente abnegadas a quem agradeço de ter chegado aonde cheguei.


Escola em Guanacés - Fonte : Globo Rural/UOL

Os computadores da escola ficam acessíveis até fora do horário de aula.
Os estudantes não perdem contato com as atividades rurais.
A última reportagem da série sobre a educação no campo apresenta uma escola, no Ceará, considerada modelo. A tecnologia é aliada dos alunos, que, mesmo com esses avanços, não perdem o contato com as atividades rurais.
De longe a Escola Estadual Custódio da Silva Lemos, no município de Cascavel, distrito de Guanacés, região leste do Ceará, se destaca. Ela ocupa uma área de quatro mil metros quadrados e atende mais de 600 alunos que moram nos distritos rurais da região. Os estudantes têm orgulho de mostrar o laboratório.
"A gente passa o conteúdo na sala e eles perguntam logo sobre o laboratório, que é onde vão treinar, se adaptar e ter a prática das ciências", explica a professora Vanessa Balbino.
No Ceará, mais de 10,4 mil estudantes cursam o ensino fundamental e médio em escolas estaduais que ficam na área rural. A escola do município de Cascavel é considerada modelo pela infra-estrutura que oferece. No estado, das 48 escolas rurais, vinte e seis estão bem equipadas para atender aos alunos. Os computadores da sala de informática estão acessíveis até fora do horário das aulas.
"Ás vezes, a gente não têm acesso em casa à internet. E a escola possibilita esse acesso", diz o aluno Lucas Colares.
A biblioteca é equipada com 4,5 mil livros. "Sempre que eu estou com tempo pego um livro. Quando você precisa de uma pesquisa, você não pode ir para internet, você tem os livros aqui que possibilitam isso. Eu acho muito importante", avalia a estudante Jéssica Rabi.
Mas, o conteúdo pedagógico é o que está fazendo a diferença. Um projeto de educação ambiental busca interagir os estudantes com atividades desenvolvidas no campo.
As aulas também são práticas. No contato direto com a natureza, os alunos conhecem diferentes tipos de ecossistemas e as consequências da intervenção do homem no meio ambiente.
O que seria do canavial se fosse manejado com as tradicionais queimadas? "A palha, ao ser queimada, vai matar microorganismos que serão importantes para o oxigênio do solo, para as raízes poderem absorver mais nutrientes. A queima também vai destruir alguns minerais. Então, vai sempre deixando o solo infértil e fraco", explica o professor Clodoaldo Uchoa.
Tudo isso traz auto-estima. Os alunos se sentem preparados para concorrer às vagas das universidades com os estudantes dos centros urbanos.
A estudante Ranieli Cavalcanti aproveitou bem o passeio e voltou com um pouco mais de experiência para o sítio onde mora. "Muita gente tem aquele preconceito em relação à escola rural e diz que é do campo e não pode crescer. Mas, eu não vejo assim exatamente porque eu acredito que eu vivo me atualizando pela internet, livros e jornais. Nossa escola tem uma biblioteca muito boa e eu vivo me atualizando.”
De acordo com um levantamento realizado pelo Inep, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas, a maioria das escolas rurais das redes estadual e municipal desenvolve projetos que abordam temas agro-ambientais.

Agora cliquem na setinha, liguem as caixas para ver o vídeo.




video

2 comentários:

José Holanda disse...

Esta escola é sem dúvida maravilhosa, quando estudante da mesma tive muitas vitórias educacionais, entre elas, a aprovação em alguns concursos e na Universidade Federal do Ceará. Parabenizo o prof. Cesar Costa que na época foi meu prof. ... José Holanda.

Maria Pereira conhecida como Dorinha disse...

Olá me chamo Maria Pereira conhecida como Dorinha meu número é (092)99477-6630 e procuro à anos por José delzidete de Almeida paiva que é morador de guanaces no ceara.por favor me ajudem à encontrá-lo