segunda-feira, 31 de março de 2008

A Bossa Nossa


Luciano, ao lado da filha Luciana, no Reencontro



Vi daqui de Salvador, através da TV Diário, pela parabólica, no programa Tarde Livre, na última sexta a apresentação do Luciano Franco com seu novo grupo, a Bossa Nossa.


Trata-se de um quarteto instrumental formado por Luciano no contrabaixo, Tarcísio Sardinha (o Saddan) ao violão, Alves no teclado e Denilson Lopes na bateria que tocam a Bossa Nova, música instrumental em geral e o melhor da MPB.
A proposta do grupo é apresentar um trabalho de qualidade em ambientes seletos onde esse tipo de música é solicitado, a exemplo dos eventos que ocorrem em bufês. A agenda do grupo já está recheada de compromissos.


A apresentadora Fernanda Quinderé, viúva de um dos maiores músicos deste país, o Luís Eça do Tamba Trio ficou maravilhada com a apresentação do novo grupo.
Sérgio Almeida Franco, Salvador/Ba

Dia 31 de março é o Dia Nacional da Nutrição.


Chave para dieta saudável é respeitar o organismo, aconselha nutricionista


As mudanças para dietas mais saudáveis precisam respeitar os hábitos e os gostos de cada pessoa. Esse é o conselho a professora de nutrição Aureluce Demonte, da Unesp (Universidade Estadual Paulista), neste 31 de março, Dia Nacional da Nutrição.


Nos últimos anos têm crescido a procura pela chamada “dieta mediterrânea”, que, como o próprio nome explica, vem dos povos que vivem na região do mar Mediterrâneo -- o que inclui espanhóis e italianos, mas também norte-africanos, turcos e sírios.


Tudo começou, explica Demonte, com pesquisas populacionais que mostraram que as pessoas que vivem nessa área têm expectativas de vida mais elevadas, mesmo aquelas que vivem em grandes metrópoles e levam uma vida mais estressante.


Os especialistas acreditam que isso tem muito a ver com a alimentação. Devido ao clima do Mediterrâneo, as pessoas costumam comer muito peixe, muitas frutas e, coisa mais rara aqui no Brasil, oleaginosas, como castanhas e avelãs, e muito azeite de oliva. Além disso, eles também costumam tomar vinho (com moderação) durante as refeições. Segundo Demonte, essa combinação faz muito bem para a saúde, porque protege contra problemas cardíacos e retarda o envelhecimento.


É algo extremamente positivo, mas que envolve também uma série de questões culturais e comportamentais que são difíceis de copiar no Brasil. “Há poucas coisas mais complicadas do que mudar um hábito alimentar. A pessoa gosta de comer as coisas que ela gosta de comer e pronto. É possível adequar muitas coisas, mas não dá para a pessoa mudar completamente da noite para o dia”, explica ela. “A dieta mediterrânea envolve, por exemplo, alto consumo de azeite de oliva. Alto mesmo. Eles usam azeite para tudo, para cozinhar carnes, para temperar saladas, tudo. E, embora os brasileiros tenham em geral o hábito de consumir algum azeite, dificilmente nos o usamos nessas quantidades tão grandes”, afirma.


De acordo com Delmonte, quem quer se beneficiar da saúde do Mediterrâneo precisa exercitar o equilíbrio e adequar a dieta aos seus hábitos alimentares normais. “Se a pessoa simplesmente comer um pouco de azeite por dia, já ajuda. Comer mais frutas, procurar comer castanhas. Tomar uma taça de vinho de vez em quando”, orienta. “A chave é se respeitar e respeitar o seu organismo. Mudanças radicais de uma hora para a outra não se mantêm ao longo do tempo; a pessoa invariavelmente acaba voltando para seu comportamento anterior”, diz a professora.


Delmonte explica que a melhor maneira de ter uma alimentação saudável não é se prender a receitas fixas e a dietas mirabolantes. “Enquanto a pessoa segue as ‘regras’ da dieta, tudo bem. Assim que ela ‘escapa’, volta a se alimentar como antes. É isso que faz surgir o famoso efeito sanfona”, explica. O melhor a ser feito é buscar o equilíbrio no dia-a-dia. Em casos mais graves, como de obesidade, vale a pena procurar um especialista em nutrição.


Site : O Globo ciência

Pegadinhas

Por que o louco toma banho com o chuveiro desligado ?

R – Porque ele comprou sampoo para cabelos secos.

Qual a diferença do gato para a coca-cola?

R – O gato mia a coca-cola light.

Qual a maior injustiça do Natal?

R – O peru morre e a missa é do galo.

Técnicas de relaxamento ajudam a reduzir a pressão dos idosos

Acrescentar técnicas de relaxamento a outras mudanças no estilo de vida pode melhorar consideravelmente o tratamento da hipertensão sistólica, condição muito comum em idosos, segundo estudo do Hospital Geral Massachusetts, nos Estados Unidos.
Os pesquisadores avaliaram mais de 100 pacientes com mais de 55 anos e cuja pressão continuava elevada apesar deles tomarem dois ou mais anti-hipertensivos.
E eles observaram que aqueles que participaram de um programa de relaxamento (estado fisiológico de descanso profundo, que pode incluir meditação, orações e exercícios de respiração) junto a recomendações para a redução dos fatores de risco tinham duas vezes mais chances de abandonar pelo menos um medicamento contra hipertensão do que aqueles que apenas receberam os conselhos.

Fonte: Blog Boa Saúde

domingo, 30 de março de 2008

Aniversário de Célia

Célia, a segunda sentada da esq. p/direita, junto ao marido Eduardo e seus seis filhos Mateus, José Eduardo, Sofia, Camila, Mariana e Daniele.

Que familia bonita !





Transcorre hoje o aniversário de Célia Regina, filha de Carmen e José Aldemir. Casada com Eduardo, é mãe de 6 filhos maravilhosos, o que forma uma família encantadora em todos os aspectos.

A AFA parabenisa a aniversariante, desejando-lhe muitas felicidades e muitos anos de vida.

Como ajudar o seu filho a fazer lição



por Maria Clara Braz


A lição de casa é uma etapa fundamental no aprendizado de crianças e adolescentes. “É graças ao trabalho individual que a informação se transforma em conhecimento”, explica Norma Ragghianti, diretora pedagógica da Escola Internacional de Alphaville. Nesse momento, o estudante aprende a resolver os exercícios quando está sozinho.
Os pais podem participar, mas não devem resolver a tarefa pelo filho. “O que mais ajuda é perguntar, todos os dias, o que a criança aprendeu na escola. Esse exercício de narrativa a faz relembrar, de forma natural, o que aconteceu em sala de aula”, completa Fabiana Litrenta, coordenadora de professores do ensino fundamental da Escola Internacional de Alphaville.
Confira as recomendações dos especialistas para não interferir de forma negativa no aprendizado de seus filhos:


- O LIMITE DA AJUDA Não há nada de errado em colaborar com a criança. Busque a resposta com ela, mas não faça o trabalho por ela.


- TELEFONAR PARA UM AMIGO. Talvez, seu filho continue com dúvidas mesmo depois de buscar a resposta no material didático. Então, que tal seu filho telefonar para um colega e pedir ajuda? Segundo Fabiana, essa é uma solução excelente.“Eles vivenciaram a aula juntos e falam a mesma língua.”


- SE A DÚVIDA PERSISTIR... Deixar algum exercício em branco, sem resposta, não é falta grave. Esgotadas as alternativas para resolver a questão, é até bom que o aluno volte à escola com a dúvida, para que o professor possa explicar novamente aquele ponto. “Se os pais resolvem as tarefas, não temos como saber quais são as dificuldades dos alunos”, destaca Fabiana.


Texto produzido especialmente para AnaMaria pela redação de Nova Escola, uma publicação da Fundação Victor Civita

Quarto em desordem


http://betecampana.sites.uol.com.br/quarto.htm

Carlos Drumond de Andrade

Na curva perigosa dos cinqüenta derrapei neste amor.
Que dor!
que pétala sensível e secreta me atormenta
e me provoca à síntese da flor
que não sabe como é feita: amor
na quinta-essência da palavra, e mudo
de natural silêncio já não cabe
em tanto gesto de colher e amar
a nuvem que de ambígua se dilui
nesse objeto mais vago do que nuvem
e mais indefeso, corpo!

Corpo, corpo, corpo
verdade tão final, sede tão vária
a esse cavalo solto pela cama
a passear o peito de quem ama.

sábado, 29 de março de 2008

Segurança no trânsito


O espírito não adoece

Qualquer um que esteja consciente da incondicional dignidade do ser humano também há de ter um respeito incondicional pela pessoa humana – mesmo tratando-se de alguém com uma doença mental incurável. Aliás, se bem pensarmos, “doença mental” não existe, pois o “espírito”, a pessoa espiritual, não pode de maneira nenhuma adoecer. Mesmo na psicose ele ainda se encontra aí, se bem que pouco “visível”.
A dimensão espiritual do homem não pode ser perdida. Ela está presente na criança, só que não se desenvolveu ainda –, da mesma forma que a linguagem já existe no recém-nascido, só que ainda não chegou a manifestar-se. Está presente na pessoa debilitada pela idade e com o cérebro perturbado, só que encoberta por fatores biológicos. E também no esquizofrênico, embora restringida por obstáculos neuroquímicos. Vibra no viciado em drogas, embora paralisada por fatores artificiais. É só a constante existência da dimensão espiritual do homem que garante sua intocável dignidade.
O elemento espiritual estando bloqueado, deixa de manifestar-se visivelmente aquilo que é próprio e específico do ser humano. Assim, uma criança pequena, uma pessoa embriagada ou um débil mental não se diferenciam muito de um animal inteligente, porque a liberdade espiritual e a capacidade de julgamento, e com elas a capacidade humana de tomar decisões e de assumir responsabilidade, foram drasticamente reduzidas. Mas continua a existir uma diferença, naquela potencialidade que não pode perder-se – naquela dimensão que se localiza para além da saúde e da doença, da inteligência e da bronquice, mesmo que não possa manifestar-se através das outras dimensões do ser.
Por aí podemos concluir se um tratamento logoterapêutico é indicado ou não. Quando a dimensão noética da pessoa estiver “adormecida”, inteiramente enevoada por alguma inconsciência em outro plano do ser, por imaturidade ou por doença, o tratamento logoterápico não será possível. Mas em todos os outros casos a Logoterapia pode ajudar: mesmo no caso de crianças mais crescidas e de jovens, e mesmo com pessoas senis, mentalmente retardadas, ou psicóticas em escala restrita. Os espaços livres dessas pessoas costumam ser maiores do que se pensa.
A Logoterapia pode produzir resultados tanto nas perturbações corporais e psíquicas que ecoam no espírito, como também nas frustrações do espírito que tenham influência no psíquico e no psicossomático. Quando a logoterapia puder ser aplicada, sempre há de existir alguma interação entre o psicofísico e o espiritual. Mas é exatamente isso que caracteriza o pulsar da vida humana como um todo: a interação entre o material e o ideal, entre o que foi afetado e o que permanece intacto, entre o que é passageiro e o que é permanente.
Quando alguém nega a existência, no ser humano, de algo que seja “são” e incólume, que não esteja sujeito à doença, nós nos encontramos diante de uma visão que considera o homem como se ele não passasse de uma máquina necessitada de conserto. De fato, quem ignora a dimensão espiritual do ser humano, não admite que algo possa estar intacto, apesar de não encontrar-se dentro das normas, ou mesmo que exista sofrimento apesar da saúde. Os desvios da norma passam a ser vistos como meras fraquezas funcionais, e quem não funciona da maneira esperada passa a ser considerado enfermo.
Quando o paciente, por exemplo, se interroga pelo sentido de sua vida, ele estaria sofrendo de “auto-agressão”. Quando alguém não demonstra entusiasmo por seu terapeuta, diz-se que ele manifesta “resistências”.. Quando um artista procura realizar um projeto criativo, ele estaria com “complexos de inferioridade”. Logo nos deparamos com uma discriminação genérica contra os desejos e as realizações espirituais, ignorando-se a existência, no homem, de uma instância situada além da saúde e da doença. Este erro recebe o nome de “psicologismo”.
Em toda parte o psicologismo só vê máscaras, e por trás dessas máscaras não quer enxergar outra coisa a não ser motivos neuróticos. Tudo lhe parece impróprio e inautêntico. A arte, para ele, em última análise não é outra coisa senão uma fuga da vida ou do amor; a religião não seria outra coisa senão o medo do homem primitivo frente aos poderes cósmicos. Os grandes gênios espirituais são descartados como neuróticos ou psicopatas. Um gênio como Goethe, por exemplo, não passaria de um neurótico. Tal linha de pensamento, na verdade, não enxerga nada de próprio, na verdade ela não percebe coisa alguma.
No psicologismo nós nos deparamos mais uma vez com aquele erro que projeta os fenômenos da dimensão espiritual sobre a dimensão psíquica. Ele nega a individualidade da pessoa humana, para a qual os desvios da norma não têm que ser sinais de doença, mas podem ser formas pessoais do projeto de vida, portanto expressão sobretudo do que permanece intacto no homem. Só no psicofísico é que qualquer desvio da norma é sintoma de doença. Já no espiritual, aquilo que não cabe dentro dos moldes, aquilo que é “específico” de cada um, encontra a forma que lhe é própria.
Assim como o pandeterminismo nega ao homem a liberdade e a responsabilidade, assim também o psicologismo fecha os olhos para aquilo que o ser humano possui de mais autêntico: a criatividade e a espiritualidade.



Um homem lhe disse: Mestre, eu trouxe meu filho que tem um espírito mudo. ... Pedi a teus discípulos que o expulsassem, mas não puderam. ... Se de alguma maneira o podes, usa de piedade conosco e nos ajuda. Jesus, porém, lhe disse: Se podes! Tudo é possível para quem crê. Imediatamente exclamou o pai do menino: Eu creio, mas ajuda minha falta de fé. Vendo Jesus que o povo acorria, ordenou ao espírito impuro e lhe disse: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno, sai desse menino e não voltes a entrar nele. Gritando e maltratando muito o menino, o espírito saiu.
Evangelho de Marcos 9,17-26

Enviado por Carlos Almeida Pereira, Campina Grande - Pb

Velha fofoqueira







O Promotor de Justiça chama sua primeira testemunha, uma velhinha de idade bem avançada. Para começar a construir uma linha de argumentação, o Promotor pergunta para a velhinha:




- Dona Genoveva, a senhora me conhece, sabe quem eu sou e o que faço?




- Claro que eu o conheço, Carlinhos! Eu o conheci bebê. E, francamente, você me decepcionou. Você mente, você trai sua mulher, você manipula as pessoas, você espalha boatos e adora fofocas. Você acha que é influente e respeitado na cidade, quando na realidade você é apenas um coitado. Ah, se eu te conheço! Claro que conheço!

O Promotor fica petrificado, incapaz de acreditar no que estava ouvindo. Ele fica mudo, olhando para o juiz e para os jurados.


Sem saber o que fazer, ele aponta para o advogado de defesa e pergunta à velhinha:


- E o advogado de defesa, a senhora o conhece?




A velhinha responde imediatamente:




- O Pedrinho? É claro que eu o conheço! Desde criancinha. Eu cuidava dele para a Mariana, a mãe dele. E ele também me decepcionou. É preguiçoso, falso puritano, alcoólatra e sempre quer dar lição de moral nos outros sem ter nenhuma para ele. Ele não tem nenhum amigo e ainda conseguiu perder quase todos os processos em que atuou.




Neste momento, o juiz pede que a senhora fique em silêncio, chama o Promotor e o advogado perto dele, se debruça na bancada e fala baixinho aos dois:




- Se algum de vocês perguntar a esta velha faladeira se ela me conhece, vai sair dessa sala preso! Fui claro ?!?!?

sexta-feira, 28 de março de 2008

Índice de Massa Corpórea


O Índice de Massa Corporal (IMC) é reconhecido como padrão internacional para avaliar o grau de obesidade. O IMC é calculado dividindo o peso (em kg) pela altura ao quadrado (em m).

Categoria
IMC
Peso Saudável18,5 - 24,9
Subnutrido
Abaixo de 18,5
Peso saudável
18,5 - 24,9
Sobrepeso
25,0 - 29,9
Obesidade Grau I
30,0 - 34,9
Obesidade Grau II
35,0 - 39,9
Obesidade Grau III
40,0 e acima
Seu IMC é de:

Exemplo de como calcular o Índice de Massa Corporal (IMC):
80kg / 1,80m x 1,80m = 24,69 (Normal)
IMC = Peso (Altura X Altura)

Enchentes castigam o Ceará

Lavras da Mangabeira, cidade do interior cearense, invadida pelas águas do Rio Salgado


Acostumado a conviver com a seca inclemente, os cearenses estão vivendo agora o suplício das enchentes.


Luís Gonzaga já havia retratado essa situação em uma linda música , cuja letra abaixo transcrevemos:


Súplica Cearense


Canta: Luíz Gonzaga


Composição: Gordurinha e Nelinho


Oh! Deus,
perdoe este pobre coitado
Que de joelhos rezou um bocado
Pedindo pra chuva cair sem parar


Oh! Deus, será que o senhor se zangou
E só por isso o sol se arretirou
Fazendo cair toda chuva que há

Senhor, eu pedi para o sol se esconder um tiquinho
Pedir pra chover, mas chover de mansinho
Pra ver se nascia uma planta no chão

Oh! Deus, se eu não rezei direito o Senhor me perdoe,
Eu acho que a culpa foi
Desse pobre que nem sabe fazer oração

Oh! Deus, perdoe eu encher os meus olhos de água
E ter-lhe pedido cheinho de mágoa
Pro sol inclemente se arretirar

Desculpe eu pedir a toda hora pra chegar o inverno
Desculpe eu pedir para acabar com o inferno
Que sempre queimou o meu Ceará

Sede da AFA

Reunião da AFA em sua sede, a casa do casal Carmen/Aldemir

Poema com muita sensualidade


Quando eu te encontrar, possuir-te-ei
Sem pedir licença, levar-te-ei até a cama;
Tocar-te-ei em todo o teu corpo e te possuirei;
Vou te deixar com uma enorme sensação de cansaço, e entrega total...

Lentamente, vou te causar arrepios, fazer-te suar profundamente.
Deixar-te-ei ofegante,
tirar-te-ei o ar...
e a tua cabeça pulsará

Da cama não conseguirás sair!
E quando eu terminar, irei embora sem me despedir
Com a certeza de que voltarei

Assinado: DENGUE
E você pensava que era outra coisa, hein?
Enviado por Luciano Franco, Fortaleza/Ce

Canções italianas

Rita Pavone, cantoral italiana de muito sucesso nos anos 60


Vale a pena clicar no link abaixo e fazer sua seleção musical...


Preciosidades para colecionar.


Algumas entre as mais belas canções italianas877 canções (de 1818 até 1975)


Confira no endereço abaixo:


quinta-feira, 27 de março de 2008

Luciano e Quarteto na TV Diário


Na tarde dessa sexta, dia 28, Luciano Franco com seu novo quarteto de música instrumental se apresentará no programa TARDE LIVRE, da TV Diário, de Fortaleza.
Além de tocar, ele será entrevistado pela apresentadora Fernanda Quinderé.
Esse quarteto já tem uma agenda prevista em eventos nos principais Bufês da cidade.
A TV Diário é captada em todo o Brasil através da antena parabólica convencional, aquela que transmite a programação de TV de sinal aberto.

Comida ruim


O sujeito está jantando num restaurantezinho sujo de beira de estrada.


Quando o garçom passa perto de sua mesa ele resolve reclamar:


- Garçom, eu não consigo comer esta comida!


Chame-me o gerente, por favor!


- Não adianta, senhor!


Ele também não vai conseguir comer.

Confúcio


"Escolha um trabalho que você ame e não terá que trabalhar um só dia em sua vida"

quarta-feira, 26 de março de 2008

Combate à dengue


Dráuzio Varella


É fundamental conscientizar as pessoas de que combater o mosquito da dengue, além de responsabilidade dos órgãos governamentais que deveriam encarregar-se do saneamento básico, abastecimento de água e de campanhas educativas permanentes, requer empenho de toda a sociedade, uma vez que o Aedes aegypti pode encontrar, em cada moradia e arredores, ambiente propício para sua proliferação.


Considerando os dados levantados pela Fundação Nacional de Saúde de que o mosquito vetor "foi erradicado duas vezes do Brasil, em 1955 e 1973, e que, com o relaxamento da vigilância entomológica ocorrido no final da década de 70 e início dos anos 80, foi reintroduzido, instalando-se definitivamente no país", conclui-se que o trabalho de combate deve ser permanente e contínuo.


Desse modo, algumas medidas elementares podem ser tomadas individual e coletivamente para auxiliar na erradicação do Aedes aegypti:


Vasos de flores ou plantas - a vasilha que fica sob o vaso para recolher a água excedente deve ser mantida seca. Uma boa medida é enchê-la com areia até a borda. A água dos vasos com flores deve ser trocada a cada 2 ou 3 dias;


Pneus velhos - devem ser furados para eliminar a água que eventualmente se acumule, guardados em lugar coberto ou jogados fora;


Caixas d'água - devem ser lavadas periodicamente e tampadas durante todo o tempo;
Piscinas - o cloro da água das piscinas deve estar sempre no nível adequado;


Garrafas vazias - devem ser guardadas de cabeça para baixo, em lugares cobertos e as tampas jogadas fora em sacos de lixo;


Recipientes descartáveis (copos, pratos, travessas, etc.) - devem ser colocados em sacos de lixo para serem recolhidos pelos lixeiros;


Lixo - nunca deve ser jogado em terrenos baldios, ou nas ruas e calçadas. Além disso, as latas de lixo devem estar sempre tampadas e limpas;


Bebedouros de animais - precisam ser lavados e a água trocada sistematicamente;


Depósitos de água - quaisquer que sejam os tipos e a finalidade a que se destinam, se não for possível prescindir deles, devem ser mantidos limpos e tampados com segurança;


Bromélias - algumas plantas armazenam água entre suas folhas e podem tornar-se eventuais criadouros dos mosquitos. Entre elas, destacam-se as bromélias cujo cultivo é comum nos jardins e residências. Eliminá-las não resolveria o problema da dengue e poderia afetar o equilíbrio ecológico.


Como é quase impossível retirar totalmente o grande volume de água que se embrenha pelas folhas, a solução é diluir uma colher de sopa de água sanitária em 1 litro de água limpa e regá-las duas vezes por semana. Esse mesmo preparado pode servir para inibir a formação de criadouros nos vasos de flores ou plantas com água.


Importante: Há quem afirme que a borra de café ou o fumo diluído em água também seriam úteis para controlar o surgimento de criadouros nos pratinhos sob os vasos ou na água retida pelas plantas. Em relação à borra de café, essa eficácia não foi comprovada pelos testes realizados no Laboratório de Pesquisas de Aedes aegypti do Serviço Regional de Marília da Sucen.


Uso de repelentes e inseticidas


O aumento de casos de dengue trouxe algumas alterações nos hábitos das pessoas que passaram a consumir mais repelentes de insetos e inseticidas. No entanto, seu uso exige cuidado, porque podem causar intoxicações e alergias especialmente em crianças pequenas. Nunca se deve aplicá-los em bebês ou crianças com menos de 4 anos de idade.


É importante considerar, ainda, que vários tipos de inseticida apenas afugentam os mosquitos de dentro dos domicílios e são ineficazes em relação aos focos que estão nas redondezas. O mesmo acontece com os produtos naturais à base de citronela e andiroba. Portanto, os cuidados com os locais que eventualmente possam transformar-se em criadouros não podem restringir-se aos períodos de chuva e calor, época de maior incidência da dengue, nem à aplicação ocasional de inseticidas e repelentes


Reprodução em água suja


Em Pernambuco, os biólogos Cleide Albuquerque e André Furtado localizaram em Olinda e Recife respectivamente, em diferentes ocasiões, larvas de Aedes aegypti em água que continha resíduos de alimentos e de sabão. Por isso a população está sendo instruída para não jogar larvas do mosquito em vasos sanitários ou canaletas, mas sim na areia porque elas não sobrevivem em ambiente seco. Embora o achado demande mais pesquisa e observação, pode ser sinal de que o mosquito esteja desenvolvendo novo mecanismo de adaptação.


Bioinseticida


Segundo matéria de Luciana Miranda publicada no jornal "O Estado de São Paulo", na Universidade Estadual Fluminense (RJ), está sendo desenvolvido um novo bioinseticida para atacar as larvas do mosquito da dengue que poderá substituir os larvicidas químicos. Seu componente básico é a bactéria BTI (bacillus thuringiensis israelensis). Esse microorganismo produz uma toxina que ataca as larvas do Aedes aegypti sem prejudicar outros animais, seres humanos ou o equilíbrio ecológico. As larvas do Culex e do Anopheles, mosquitos transmissores de outras doenças, também são atacadas pela bactéria BTI. "O estudo começou em dezembro passado e os pesquisadores esperam ter os primeiros resultados nos próximos dois anos".

Henfil e o Imposto de Renda


Henfil (foto) , hemofílico, morto em 1.988 vítima de de uma transfusão de sangue contaminado. Ele e seus irmãos também hemofílicos, Betinho e Chico Mário, morreram nas mesmas circunstâncias .



Lembro do saudoso cartunista Henfil, ao ter de ajustar contas com o Leão:




"Gostaria de ser rico um dia somente para não ter que pagar Imposto de Renda"

A escolha certa


A criança durante o almoço começa a chorar e fala pra mãe que não gosta do vovô.


A mãe responde: Tudo bem filhinho, coma só as batatas.

Alimentação pode influenciar no aprendizado das crianças, diz estudo


Crianças que se alimentam de forma mais saudável são mais propensas a passar nas avaliações escolares, segundo estudo da Universidade de Alberta, no Canadá.

Os pesquisadores avaliaram a alimentação de 4,6 mil crianças da quinta série escolar através de questionário respondido pelos pais, e aplicaram um teste de capacidade, incluindo leitura e escrita, quando as crianças estavam na sexta série.
E as crianças que consumiam muita fruta e vegetais e não comiam tanta gordura tinham mais chances de passar nos testes.
Outras pesquisas já vinham mostrando a importância de um bom café da manhã antes de ir pra escola. Porém, o novo estudo destaca que a qualidade das outras refeições também é importante


Fonte: Blog Boa Saúde

terça-feira, 25 de março de 2008

Crônica do Amor

Arnaldo Jabor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão.
O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.Você ama aquela petulante.
Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco. Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem noódio vocês combinam.
Então? Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.Você ama aquele cafajeste.
Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha.
Ele não tem amenor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga.
Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucurapor computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?
Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.
Não funciona assim. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.
Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!
Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso.
Pedir é a maneira mais eficaz de merecer.
É a contingência maior de quem precisa.

Música



É só clicar em cima do nome da música erguer o volume e aguardar pra ouvir!!...músicas originais, algumas tão antigas como a história .


Divirtam-se!


Desenho de Deus (2006) Dandara (2005) Mulher Ideal(2002) Eu Sei (2004) Meu Ébano(2005) Passarela no ar(2006) Por mais que eu tente(2005) Se não é amor(2005) Epitáfio (2001) A Miragem (2001) A Loba(2001) Se quer saber (2002) Amor e Sexo(2003) As Loucuras de uma Paixão(1997) Vê se me erra(1992) Devagar...Devagarinho(1995) Dois (1997) A canção tocou na hora errada(1999) Mal Acostumado(1998) Paratodos(1993) Espanhola(1999) Partituras(1995) Sonhos(1994) Tem coisas que a gente não tira do coração(1996) Chama da Paixão(1994) Sol de Primavera(1994) Lenha (1999) Mulheres(1998) SE (1992) Beija eu (1991) O Canto da Cidade(1992) Nobre Vagabundo(1996) Recado(1990) Encontro das Águas(1993) Sozinho(1999) Ta na Cara(1998) Resposta ao Tempo(1998) Ainda lembro(1994) Nuvens(1995) Dez a Um(1997) Bem Querer(1998) Caça e Caçador(1997) Alma Gêmea(1995) Quem é Você(1995) Um Dia de Domingo(1985) Coração de Estudante(1983) Momentos(1983) Quarto de Hotel(1980) Se eu quiser falar com DEUS (1980) Meu Bem Meu Mal(1981) Você é Linda(1983) Baila Comigo(1980) Vai Passar(1984) Menino do Rio(1980) Oceano (1989) Fonte da Saudade(1980) Conselho(1986) Alma(1982) Mel na Boca(1985) Saigon(1989) De volta pro meu aconchego(1985) Faz parte do meu show(1988) Só Pra Contrariar(1986) Um Homem também chora(1983) Deslizes(1989) Bilhete(1980) Balada do Louco(1982) Viajante(1989) Um certo alguém(1983) Purpurina (1982) Verde (1985) O que é o que é (1982) Me dê Motivo(1983) Lança Perfume(1980) Estranha Loucura(1987) Tiro ao Álvaro(1980) Anos Dourados(1986) Caçador de mim(1980) Agonia (1980) Meu Bem Querer(1980) Ao que vai chegar(1984) Como Uma Onda(1983) Tudo com você(1983) Paixão(1981) Codinome Beija Flor(1985) Samba pra Vinicius(1980) Papel Machê (1984) Judia de Mim(1986) Brasil (1988) Ontem (1988) Encontros e Despedidas(1985) Nos bailes da vida(1981) Samurai (1982) O Caderno(1983) Pedacinhos(1983) O último romântico(1984) Cama e Mesa(1984) Todo o Sentimento(1987) Apesar de Você (1972) Grito de Alerta (1979) Naquela Mesa (1970) Detalhes (1970) Gabriela(1975) Gostava Tanto de Você(1973) Tigresa (1977) Coisinha do Pai(1979) Quando eu me chamar Saudade(1974) Canta Canta minha gente(1974) Foi um Rio que passou em minha vida(1970) Cio da Terra(1976) Juízo Final(1976) O Mar Serenou(1975) Gota D'Agua(1976) Não deixe o samba morrer(1975) Viagem (1973) Sufoco (1978) Bandolins(1979) Atrás da Porta(1972) Argumento(1975) Regra Três(1973) A paz do meu amor(1974) Toada(1979) Meu mundo e nada mais(1976) Você abusou(1971) Tristeza pé no chão(1972) Rosa de Hiroshima(1973) Valsinha(1971) Retalhos de cetim(1973) Águas de Março (1972) Começar de Novo ( 1978) Loucura (1979) Começaria Tudo Outra Vez(1976) Foi Assim (1977) Outra Vez(1977) Café da Manhã (1978) Folhas Secas(1973) Só Louco(1976) 1.800 Colinas(1974) Dança da Solidão(1972) Olho por Olho(1977) Conto de Areia(1974) A Deusa dos Orixás(1975) Alvorada no Morro(1973) Pra Você(1972) Os Amantes(1977) O Surdo(1975) Pedaço de Mim(1979) To Voltando(1979) Pela Luz dos Olhos Teus(1977) Se queres saber(1977) O Bêbado e a Equilibrista(1979) Wave (1977) Você (1974) Canto das Três Raças(1974) Desabafo(1979) Samba de Orly(1971) Seu Corpo(1975) Madalena(1970) Samba de uma Nota Só ( 1960) Disparada (1965) Travessia ( 1967) Matriz ou Filial ( 1964) Trem das Onze (1965) Viola Enluarada (1967) A Banda (1965) Cantiga por Luciana ( 1969) Carolina (1967) Festa de Arromba ( 1964) Hoje (1966) Upa Neguinho (1967) Prova de Fogo (1967) Samba do Avião(1967) Noite dos Mascarados(1967) Laranja Madura (1966) Mas que nada(1963) País Tropical(1969) Modinha(1968) Poema do Adeus(1961) Sem Fantasia(1967) Estão voltando as flores (1961) Samba em preludio(1962) Negue (1960) Garota de Ipanema ( 1962) Apelo (1967) O Barquinho ( 1961) Gente Humilde ( 1969) Minha Namorada (1962) Arrastão (1965) Alegria Alegria (1967) Caminhando (1968) Você passa eu acho graça(1968) Namoradinha de um amigo meu(1965) A Flor e o Espinho ( 1964) Preciso aprender a ser só(1965) Volta por cima(1962) Mulher de Trinta(1960) A Praça(1967) Chove Chuva(1963) Brigas(1966) Fotografia(1967) Andança(1968) Roda Viva(1967) Samba do crioulo doido(1968) Ninguém Me Ama( 1952) Eu Sei Que Vou Te Amar (1958) Saudosa Maloca ( 1955) Chega de Saudade ( 1958 ) Conceição ( 1956) Desafinado (1958) Esse seu olhar(1959) Iracema(1956) Dindi (1959) Ronda(1953) Evocação nº1(1957) Eu não existo sem você(1958) A Noite Do Meu Bem(1959) Se Todos Fossem Iguais a Você (1957) Castigo ( 1958) Ouça ( 1957) Lábios de Mel ( 1955) Molambo ( 1953 ) Estrela do Mar(1952) Tereza da praia(1954) Alguém como tu(1952) Evocação nº2(1958) E daí?(1959) A Deusa da Minha Rua ( 1940) Chuvas de Verão (1949) Copacabana ( 1947) Amélia (1941) Adeus -Cinco Letras que choram-( 1947) Última Inspiração ( 1940) Marina ( 1947) Ave Maria no Morro (1942) Eu sonhei que tu estavas tão linda (1942) Atire a Primeira Pedra ( 1944) Brasileirinho ( 1949) Mensagem ( 1946) Velho Realejo( 1940) Caminhemos( 1947).


Enviado por José Carlos Silva, Salvador/Ba

Beni de volta à AFA

Beni (à direita) em família, com amigos, na Serra de Guaramiranga


Após um longo período de recesso, devido a questões particulares, quem anuncia seu retorno à AFA é a Beni. Já era tempo. Nesse longo período, Beni nos fez muita falta.


Seja bem-vinda, Beni

Alto consumo de fibras ajuda a melhorar função pulmonar, indica estudo


O consumo da quantidade adequada de fibras todos os dias pode ajudar pessoas de meia-idade a respirar melhor, segundo estudo publicado no “American Journal of Epidemiology”. Em pesquisa com quase 12 mil pessoas com idades entre 44 e 66 anos, os cientistas observaram que aqueles com maior consumo diário de fibras (média de 26,7 gramas) tinham melhor função pulmonar e menor risco de ter doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). E, apesar de o cigarro ser o maior fator de risco para problemas pulmonares, a alta ingestão de fibras pareceu proteger também os fumantes. As principais fontes de fibra são as frutas, vegetais e cereais, e, segundo a Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, o consumo ideal diário é de 30 a 38 gramas para homens de meia-idade e entre 21 e 25 gramas para as mulheres.


Fonte Blog: Boa Saúde

segunda-feira, 24 de março de 2008

Praia da Barra Nova - Cascavel/Ce


Cenas do Reencontro 2.008

Da esq. p/direita - de pé : Lúcia Helena, Itacoeli, Ana Leopoldina, Analice.
Sentadas: Zeldinha, Iêda e Josélia.

Foto : Arildo Almeida



Expressões ou palavras desnecessárias - muleta lingüística.

- A nível de?

Muitos condenam o uso da expressão "a nível de". Vejam o motivo da condenação. ´
É realmente incorreto o seu emprego?

Resposta: A nível de tornou-se uma muleta, ou seja, expressão dispensável, desnecessária. Veja os exemplos: "Decisão a nível de diretoria". Não fica melhor dizer (ou escrever) "Decisão de diretoria"?

"O clube está fazendo contratações a nível de futuro". Não ficaria mais elegante escrever: "O clube está fazendo contratações para o futuro"?............

Em determinadas situações, podem ser usadas as locuções no plano (de) ou em termos de. Ou no nível de / em nível de, uma vez que "nível" rejeita o "a" sozinho. Exemplos: O grupo elevou a entidade ao nível primeiro mundista (a nível primeiro-mundista - não seria a expressão mais correta)............Existe também ao nível de, mas apenas com o significado de à mesma altura: ao nível do mar. (Manual do Estadão)-

TIPO ASSIM DE REPENTE MIL COISAS

A pobreza de vocabulário se corrige com boas leituras e com muita, muita auto-crítica. No lugar de "tipo assim", expressão comum no linguajar cotidiano, experimente novas opções: "por exemplo", "neste caso" ou "na verdade", e tantas outras.-

CACOETES VERBAIS

É comum ouvir pessoas usando expressões como: entendeu?, certo?, ok?, tá?, né?, no fim de suas frases. Trata-se de um cacoete que nasce de uma certa insegurança ao falar. Boa dica é pedir a um amigo que denuncie essa falha sempre que a cometermos.

domingo, 23 de março de 2008

A importância do cafezinho


Dois leões fugiram do Jardim Zoológico.
Na hora da fuga, cada um tomou um rumo diferente, para despistar os perseguidores.
Um dos leões foi para as matas e o outro foi para o centro da cidade.
Procuraram os leões por todo o lado, mas ninguém os encontrou.
Depois de um mês, para surpresa geral, o leão que voltou foi justamente o que fugira para as matas. Voltou magro e faminto.
Assim, o leão foi reconduzido a sua jaula.
Passaram-se oito meses e ninguém mais se lembrou do leão que fugira para o centro da cidade, quando um dia, o bicho foi recapturado e voltou ao Jardim Zoológico gordo, sadio, vendendo saúde.
Mal ficaram juntos de novo, o leão que fugira para a floresta perguntou ao colega:
- Como é que conseguiste ficar na cidade esse tempo todo e ainda voltar com saúde?
Eu, que fugi para a mata, tive que voltar, porque quase não encontrava o que comer ... !!!
O outro leão então explicou:
- Enchi-me de coragem e fui esconder-me numa repartição pública.
Cada dia comia um funcionário e ninguém dava por falta dele.
- E por que voltaste então para cá? Tinham acabado os funcionários?
- Nada disso. Funcionário público é coisa que nunca se acaba.
É que eu cometi um erro gravíssimo.
Tinha comido o diretor geral, dois superintendentes, cinco adjuntos, três coordenadores, dez assessores, doze chefes de seção, quinze chefes de divisão,várias secretárias, dezenas de funcionários e ninguém deu por falta deles!
Mas... No dia em que eu comi o que servia o cafezinho... Estraguei tudo!!!


Enviado por Maria Luíza de Abreu Sobral, Fortaleza/Ce

22/3 Dia Internacional da Água


A água é essencial à vida. Sem ela, nosso planeta seria um imenso deserto sem bichos ou plantas.
No dia-a-dia, a água está presente de várias formas: para escovar os dentes, tomar banho, dar descarga, lavar as mãos e os alimentos, preparar a comida, fazer sucos, lavar e limpar, até para brincar (na piscina, no mar, com bolhas de sabão, com aquarela...).
Encontramos a água de várias formas e em vários locais. A água do mar é a que mais temos no nosso planeta, mas ela não é boa para ser bebida ou usada nas indústrias. A água doce é a que vem dos rios e lagoas. Também existe água na forma de gelo, que fica nas montanhas mais altas e nos pólos da Terra. Nosso planeta tem água em rios subterrâneos, escondidos.
Porém, a água que podemos utilizar é muito pouca. Por isto, temos que saber usá-la com inteligência, evitando o desperdício e a poluição da água.


Dicas para Economizar Água


* Escovando os dentes: com a torneira fechada, claro! Você só precisa abrir na hora certa, quando vai enxaguar a boca. Assim, você deixa de desperdiçar até 80 litros de água.
* Na hora de lavar a louça, atenção: não deixe a torneira aberta enquanto ensaboa e aproveite para enxaguar toda a louça de uma vez só! Com isso você pode deixar de desperdiçar até 100 litros de água! E, já que não custa lembrar, utilize sabão ou detergente biodegradáveis, que não poluem os rios porque se decompõem facilmente.
* Quando for lavar o automóvel, use um balde! Pode não parecer, mas enquanto um banho de mangueira de meia hora consome até 560 litros, usando um balde o gasto não passaria de 40. Viu só a diferença? Os maiores desperdícios a gente nem nota...
* Lavar a calçada com a mangueira também é um desperdício. Principalmente para quem aproveita para pôr as fofocas em dia enquanto molha o passeio... Por isso, na hora de lavar a calçada, também é melhor usar um balde, evitando-se um gasto que poderia chegar a 280 litros (quinze minutos de esguicho). Mas o melhor mesmo é usar uma vassoura, que dispensa água!
*Banhos longos gastam de 95 a 180 litros de água. Banhos rápidos economizam água e energia. E banhos de banheira usam mais água ainda, cerca de 200 litros.

Medida do Bonfim


A verdadeira fita era conhecida como medida do Bonfim. Tinha esse nome porque seu tamanho, 47 centímetros, corresponde ao comprimento do braço direito da estátua de Jesus Cristo, Senhor do Bonfim, que fica postada no altar-mor da igreja mais famosa da Bahia. A imagem foi esculpida em Setúbal, em Portugal, no século XVIII, mas a primeira fita só foi produzida no século seguinte. A peça, de seda, tinha o desenho e o nome do santo bordados à mão e o acabamento feito com tinta dourada ou prateada. Era usada no pescoço como um colar, no qual se penduravam medalhas e santinhos. A medida funcionava como uma moeda de troca. Ao pagar uma promessa, o fiel carregava uma foto ou uma pequena escultura de cera representando a parte do corpo curada com a ajuda do santo. Como lembrança, comprava uma dessas fitas, que simbolizava a própria igreja.
A fita atual é amarrada no pulso e precede o milagre: ao dar três nós no pano, a pessoa faz três pedidos, que só serão atendidos quando o tecido se desgastar e se romper. Não se sabe exatamente quando a transição começou, mas o fato é que a fita de pulso já era vendida nas ruas nos anos 60, quando foi adotada pelos hippies como parte de um uniforme que incluía sandália e bolsa de couro. Hoje não existe um único exemplar da antiga medida, lembrada apenas na música 'Trocando em Miúdos', de Chico Buarque (Eu vou lhe deixar a medida do Bonfim/Não me valeu). As pesquisas para o relançamento do suvenir original já estão bem avançadas. 'O objetivo é resgatar a tradição, e não banir do mercado a fita que se popularizou', explica Luiz Geraldo Urpia de Carvalho, membro da Irmandade da Devoção do Senhor Bom Jesus do Bonfim. 'Elas não competem entre si. A medida é feita para entrar nos lares das pessoas.' A fita que se conhece hoje pode ser de náilon – caso em que é produzida em São Paulo - ou de algodão - fabricada em Salvador por uma cooperativa de artesãos.
Para o historiador Cid Teixeira, a fita e a medida são sinais do sincretismo religioso baiano. 'O cristianismo não admite que a divindade possa estar num objeto. O povo acrescenta à religião itens mágicos, como essas fitas, que incorporam o divino', explica. 'Na Bahia é assim mesmo, Deus aqui tem várias identidades.' A fé no poder da fita é uma adaptação de crenças das religiões africanas.
Tiago Cordeiro

sábado, 22 de março de 2008

MALHAÇÃO DO JUDAS


Costume trazido pelos portugueses e espanhóis para toda a América Latina, desde os primeiros séculos da colonização européia, a malhação ou queimação do Judas, para alguns pesquisadores, seria um resíduo folclórico transfigurado das perseguições aos judeus que se desencadeou na Idade Média, na época da Inquisição.

Para outros, o Judas queimado seria uma personalização das forças do mal, vestígio de cultos para obter bom resultados, no início e no fim das colheitas, realizados em várias partes do mundo. Há ainda alguns historiadores que afirmam ser o costume remanescente da festa pagã dos romanos.

No Uruguai, a queimação do Judas é parecida com a do Brasil, embora ocorra no Natal e não na Semana Santa.

Malhar o Judas ainda é uma prática comum no Brasil, apesar do costume estar desaparecendo das grandes cidades, principalmente por falta de local adequado ou pelos perigos que representa. Hoje, a brincadeira está restrita, praticamente, a algumas cidades do interior do Brasil, que continuam preservando a nossa cultura e tradições populares.

A brincadeira acontece na Semana Santa, especificamente no sábado de Aleluia. Bonecos de palha ou de pano, pendurados em postes de iluminação pública, galhos de árvores, porteiras, currais, são rasgados e queimados.

No Nordeste, é também conhecida como enforcamento do Judas. A cidade amanhece com postes enfeitados com diversos judas: bonecos feitos com um paletó velho, camisa, calça, meias, sapatos, meias colocadas nas mãos, gravata, cujo corpo é enchido com trapos, panos velhos, raspas de madeira e jornais.
O Judas representa o personagem bíblico, Judas Iscariotes, que traiu Jesus Cristo com um beijo por 30 moedas. Consumada a traição, arrependeu-se, tentou restituir o dinheiro, mas, repelido pelos sacerdotes, enforcou-se numa corda.
A brincadeira seria uma maneira dos católicos se vingarem da traição do Judas. Antes do boneco morrer enforcado como o traidor, no entanto, tem que apanhar e ser bastante xingado.
No Rio de Janeiro, no século XIX, os judas traziam fogos de artifício no ventre e apareciam junto com demônios, ambos ardendo colorida e apoteoticamente e sendo aplaudidos pelo povo.

Atualmente, o boneco é feito com a fisionomia de alguma personalidade do mundo político, social, econômico, artístico ou esportivo que não é apreciado pelo povo, merecendo portanto ser ridicularizada, xingada e condenada.

No Brasil, faz-se também o julgamento de Judas, antes da sua condenação e execução. O “testamento” é adaptado ao folclore de cada região. Alguém o retira normalmente do bolso do boneco e o lê. Trata-se de uma sátira das pessoas e coisas locais. A “herança” só tem graça para o povo da cidade que vive o seu dia-a-dia e conhece os personagens com quem a ou a quem o Judas se refere. Seguem alguns exemplos:

Deixo para o Mestre Isaías
Como o Antônio Nel uma questão:
A Antônio Nel diz que sim!
Mas o Mestre diz que não!
Diz que é mentira pura,
Que não como RAPADURA
Acompanhando a procissão



Deixo para o “João da Bela”
O meu canário “parteiro”
Que ele cria como bem
Mas é um “buga” verdadeiro
Vive em casa esvoaçando
Com o João “Curruxiando”
Na tenda de sapateiro



Aqui vai este sapato para o Sr. Antônio
O chapéu para o Sr. José
A gravata para o Sr. Willian
O paletó para o Sr. Aílton
O cinturão para a Sra. Maria
A camisa para o Sr. Geraldo
A calça para o Sr. Cristiano


Nos lugarejos do interior brasileiro, principalmente no Nordeste, o “testamento” é manuscrito, em folhas de papel almaço e distribuído entre alguns amigos. Quando existem tipografias no local, ele é impresso e colocado por debaixo das portas das casas, de madrugada e, às vezes, vendidos pelas ruas.


Fonte: site Fundação Joaquim Nabuco de Estudos Sociais

PROVÉRBIOS

Os provérbios são máximas ou sentenças de cunho moral sobre as ações humanas que nasceram da vivência e experiência popular. Expressam de modo conciso essa experiência acumulada pelo povo e ilustram a chamada sabedoria popular. São também conhecidos como adágios, ditados, anexins ou ditos populares.

Existem em todo o mundo e são transmitidos de boca em boca, de geração em geração. Expressam, em suma, a filosofia popular de cada país.

Foram selecionados abaixo alguns provérbios brasileiros bastante conhecidos:


Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.
Amor com amor se paga.
Amigos, amigos; negócios, à parte.
A pressa é inimiga da perfeição.
A ocasião faz o ladrão.
A mentira tem pernas curtas.
Aqui se faz, aqui se paga.
Cada louco com sua mania.
Cada qual sabe onde lhe doem os calos.
Casa de ferreiro, espeto de pau.
Comer e coçar, é só começar.
Cão que ladra não morde.
Da discussão nasce a luz.
De médico, poeta e louco, todo mundo tem um pouco.
Deixa estar, jacaré, que a lagoa há de secar.
Desgraça pouca é bobagem.
Devagar com o andor, que o santo é de barro.
Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és.
Dois bicudos não se beijam.
É melhor prevenir que remediar
Em boca fechada não entra mosca.
Em briga de marido e mulher, não metas a colher.
Em terra de cegos quem tem um olho é Rei.
Falar é fácil, fazer é que é difícil.
Filho de peixe, peixinho é.
Gato escaldado tem medo de água fria.
Há males que vem para bem.
O justo paga pelo pecador.
Macaco velho não mete a mão em cumbuca.
Mais vale um pássaro na mão do que dois voando.
Nada como um dia depois do outro.
Nem tudo que reluz é ouro.
Nunca digas: desta água não beberei.
Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje.
Não faças aos outros aquilo que não queres que te façam.
Onde há fumaça, há fogo.
Para bom entendedor meia palavra basta
Pau que nasce torto, não tem jeito, morre torto.
Pimenta nos olhos dos outros é refresco.
Quando a esmola é demais, o santo desconfia.
Quando um burro fala o outro baixa as orelhas.
Quando um não quer, dois não brigam.
Quem ama o feio, bonito lhe parece.
Quem cala consente. Quem canta seus males espanta.
Quem com ferro fere, com ferro será ferido.
Quem desdenha quer comprar. Quem diz o que quer, ouve o que não quer. Quem dá aos pobres empresta a Deus.
Quem espera sempre alcança.
Quem não arrisca, não petisca.
Quem não chora não mama. Quem não deve não teme.
Quem sai aos seus não degenera.
Quem tem boca vai a Roma.
Quem tem rabo de palha não senta perto do fogo. Quem tem telhado de vidro não atira pedra no do vizinho.
Quem é bom já nasce feito. Quem é vivo sempre aparece.
Ri melhor quem ri por último.
Santo de casa não faz milagre. Tamanho não é documento.
Um dia é da caça, outro do caçador. Um homem prevenido vale por dois. Um mal nunca anda só (sozinho) Uma andorinha só não faz verão. Uma mão lava a outra, ambas lavam o rosto.
Vão-se os anéis, ficam os dedos.


Fonte: site da Fundação Joaquim Nabuco de Estudos Sociais